Santa Inês, MA Prefeitura segue sem comando após prisão de prefeito

Segue o impasse em torno da Prefeitura de Santa Inês (MA) – a 250 km de São Luís – que já está há cerca de 20 dias sem comando, depois quer o prefeito Ribamar Alves (PSB) foi preso e levado ao Complexo Penitenciário de Pedrinhas suspeito de estupro de uma estudante de 18 anos. O clima na cidade é de incerteza, enquanto o vice-prefeito Edinaldo Alves Lima (PT) luta para tomar posse.
As portas do gabinete do prefeito seguem fechadas. Os demais setores funcionam normalmente. Na ausência do prefeito, os trabalhos passaram a ser coordenados pelo chefe de gabinete, Dímison Guimarães, mas quando alguns documentos dependem da assinatura do prefeito, advogados ou pessoas credenciadas precisam leva-los até o presídio.


“O prefeito nos deu autonomia para cada secretaria funcionar normalmente. Então, os trabalhos na prefeitura continuam normalmente. Nós estamos atendendo normalmente a população”, diz o chefe de gabinete.
Nas ruas, no entanto, a população reclama. “Sem prefeito, tudo de cabeça para baixo”, relata o moto taxista Jackson Pereira. “Não tem nem palavra para isso aí. Está muito ruim, até mesmo por causa dos colégios, porque os colégios públicos do município estão todos parados para fazer reforma ainda”, afirma a aposentada Benedita Amorim.
O vice-prefeito esteve na noite dessa terça-feira (16) com a promotora de Justiça Larissa Sócrates Bastos, e disse que recebeu dela a previsão de que nesta quarta-feira (17) ela dará um parecer sobre o caso. “O presidente (da Câmara Municipal, vereador Orlando Mendes) usou da autoridade para beneficiar o prefeito”, declara Edinaldo Lima.
Além de protocolar uma notícia-crime no Ministério Público do Maranhão (MP-MA) contra o presidente da Câmara, pedindo que a Promotoria atue para a anulação da sessão de segunda-feira (15) – em que os vereadores decidiram por conceder uma licença de 30 dias ao prefeito –, o vice-prefeito entrou com uma ação na Justiça pedindo que o prefeito seja afastado definitivamente do cargo e que ele seja empossado.

G1 MA

Postar um comentário